Portugal Exportador Interviews #1 – Jose Minguez, Country Manager da Air Europa

“A Air Europa marcará presença no Portugal Exportador para dar a conhecer o nosso network a nível mundial, e para apresentar as empresas dentro do Holding Globalia, do qual faz parte a Air Europa Cargo.”

Jose Minguez, Country Manager da Air Europa

São palavras do Country Manager da Air Europa em Portugal, Jose Minguez, uma das empresas patrocinadoras do Portugal Exportador 2019. A Air Europa, empresa de aviação que opera há 10 anos em Portugal, apresenta-se na 14ª edição do Portugal Exportador numa perspectiva de dar a conhecer a sua frota da Air Europa Cargo, uma vez que as questões logísticas e de carga são muito importantes no processo de internacionalização de uma empresa.

A pensar nisso, inclusive, a Air Europa promove um café temático no evento – Ferramentas e dicas para o controlo das despesas de viagem – de forma a esclarecer dúvidas e questões dos visitantes do evento. Com cada vez mais experiência no transporte de cargas, a “Air Europa, como tem vindo a fazer até agora, continuará a promover a exportação de serviços e carga entre a Europa e América“, refere Jose Minguez.

O objectivo da participação no evento, confidencia o Country Manager da marca, é o de dar a conhecer as “diferentes empresas dentro do Holding Globalia, do qual faz parte Air Europa Cargo“, oferecendo assim uma alternativa da Air Europa para além da oferta já conhecida de voos comerciais.

A perspectiva de crescimento em Portugal é positiva: “Continuaremos a acreditar nos canais de distribuição habituais, esperando atingir maiores cotas de markert share a partir de Lisboa e Porto para a América do Sul e Estados Unidos da América“, uma aposta que se prende com um dado inegável, como conclui: “Lembramos que o Turismo é uma das principais indústrias em Portugal, que aporta mais do 15% ao PIB.

Para além do crescimento no nosso país, Jose Minguez refere que a empresa tem crescido exponencialmente nos últimos anos, a nível de frota, com dados estatísticos concretos que nos revelou: “Passámos de um frota de longo curso de doze aviões A330/200 com 24 lugares em classe executiva, e dois A330/300 full turística, para uma frota de 8 Dreamliner 787/800 com capacidade para 296 passageiros, dos quais 22 são em classe executiva, e ainda 15 Dreamliner 787/900 com capacidade para 333 passageiros, dos quais 33 são em classe executiva“.

Desde Portugal, referiu, “60% dos passageiros que estão a voar para Madrid têm partida de Lisboa e Porto; em conexão ao longo curso a taxa está nos 51%“, sendo ainda possível apurar que “destes 51%, 21% viaja em executiva.” Dados francamente positivos, que até já têm um nome próprio na empresa, conta Jose Minguez: “Nós falamos destes factos na Air Europa como “o efeito Dreamliner”” [alusivo à nova frota de Dreamliners adquiridos pela empresa].

E para o futuro? “Para o próximo ano, prevemos que o nosso aumento de capacidade para as rotas da América do Sul atingirá os 25%.

➡ Preocupação ambiental é uma realidade

A aquisição desta frota de Dreamliners – que ainda não está completa, com mais cinco aviões a serem entregues em 2020, três em 2021 e dois em 2022 – foi uma aposta estratégica também ao nível da política de sustentabilidade da Air Europa. Isto porque “Trata-se de uma frota que permitirá que a Air Europa seja sustentável, uma vez que todos estes aviões reduzem as emissões e consomem muito menos, cerca de 20%, alem de reduzirem os tempos de voo e o impacto acústico em 60%.”

2019-10-21T09:08:47+00:00